Hoje nego o poeta em mim
pois hoje desço em pano aveludado
faço das nuvens pluma de travesseiro
a brisa que carrega minha voz
se exalta de tanta felicidade

dos altos e baixos da vida fiz montanha-russa
e conclui que as pancadas tomadas pela vida
eram obra de um artista criando uma estátua

Hoje repudio o poeta
pois me sinto carregado de flor em flor
uma grande overdose de aromas
em um vasto lago de cores que me circunda

e cada passo que dou é um passo ao teu lado
nossas sombras se misturam às onze horas
e cada passo que dou um degrau se ergue
para uma escadaria sem retorno
que não me levará para um precipício
diria isso de olhos vendados

Hoje o poeta fica de lado
pego as páginas em branco de meus cadernos
e faço delas asas de papel
chuvas de confetis sobre mim
e um céu colorido com crayon

e faço do teu braço meu cachecol
do teu abraço meu nascer do sol
faço de mim feliz sendo parte de ti

Hoje não tem poema
pois hoje virei tema
sou hoje o poema de amanhã
hoje sou poesia

24/07/07

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: